Divã: eu, tu e nós

Marcia52

Como terapeuta sexual e de casal tenho observado que a quantidade de casais que procuram resolver seus problemas com a intermediação está a cada dia maior.

Para quem vê apenas o copo meio vazio pode parecer que os casamentos estão acabando, que a família não tem mais valor, mas não é bem assim.

O que fica claro é que os casais estão percebendo que um ou outro não são perfeitos, e estão enfrentando essa verdade; que os apelos, tanto sexuais como emocionais, estão o tempo todo batendo a nossa porta e que não estamos mais na caverna.

O Mito da Caverna de Platão é considerado uma das mais importantes alegorias da história da Filosofia. Por meio desta metáfora é possível conhecer uma importante teoria platônica: como, através do conhecimento, é possível captar a existência do mundo sensível e do mundo inteligível .

Nesse sentido, entender o que está acontecendo com um e com o outro – e na relação – é um fator imponderável para que as famílias possam se reorganizar nesse novo modelo exigido.

Gosto muito de representar o relacionamento conjugal na modernidade a partir do exemplo da Igreja da Sagrada Família em Barcelona, que apesar de ter sido projetada por Gaudì há 200 anos, ainda não está terminada e já foi e será inúmeras vezes restaurada.

O divórcio, após um apaixonamento súbito nunca é a saída mais certa nem inteligente, pois os apaixonamentos súbitos geralmente ocorrem para curar uma ferida ou até mesmo colocar um band-aid para esconder uma ferida.

Paixões devem percorrer um longo caminho até o amor, mas, afinal, o que seria esse tal de amor?

Já disse reiteradas vezes que implico um pouco com essa palavra cantada e decantada em prosa e verso: amor.

Mas justifico que quatro letrinhas são muito pequenas para traduzir a construção de uma relação de confiança, de verdades, de segredos, de fraquezas e intimidades que vão muito além de corpos nus. Aí pode-se chegar ou não ao amor, mas, com certeza, as fundações estão alicerçadas e a construção pode e deve levar a vida toda.

Portanto, saber que os casais estão em busca de conhecimentos de si e do outro para que essa fundação aconteça com o melhor de cada um me enche de regozijo e esperança.

marcia