Entrevista: Família Fuschini Miranda

No comando do Liceu São Paulo, a família é
uma das mais tradicionais no ensino santista

Fundado em 1927, o Liceu São Paulo acaba de completar 90 anos de história sempre à frente do ensino na cidade de Santos.

A primeira sede ficava na Rua Brás Cubas, região onde residiam as famílias santistas mais tradicionais. Já funcionou na Av Conselheiro Nébias e hoje fica na Av. Ana Costa, 148.

Capa_SB_51_web

A história do Liceu São Paulo se mistura à história da família Fuschini Miranda, que sempre comandou a escola de perto com muito carinho e dedicação. Em 1960, o vereador Professor Domingos Fuschini assumiu a direção junto com sua esposa Professora Odair Guimarães Fuschini. E em 1967, passaram a ser os únicos proprietários da escola e do prédio.

A escola tinha os alunos em três períodos. Seu curso secundário, voltado para a área comercial, foi um dos mais tradicionais e respeitados da região, assim como sua Escola Normal Rui Barbosa. Em 1979, a escola ousou ao transferir a Educação Infantil para outro prédio, exclusivo para as crianças até os seis anos, com piscina e espaços lúdicos. Uma verdadeira novidade para a época.

Após a aposentaria do casal, assumiram como diretores e mantenedores a filha, a professora e pedagoga Regina Helena Fuschini Miranda e o genro, o advogado Dr. Ermenegildo Pinheiro da Costa Miranda.

Na trajetória do Liceu São Paulo podemos citar tantos concursos literários e prêmios ganhos com olimpíadas, feiras e monografias, além do destaque para o esporte, que sempre foi bastante incentivado, com muitos troféus ganhos em olimpíadas e torneios esportivos.

A partir de 2000, ainda com Regina Helena e Ermenegildo na direção da escola, sua filha Regina Cláudia, após concluir as faculdades de Direito e Pedagogia, passou a dedicar-se integralmente ao Liceu São Paulo.

Em 2011, após viajar pela Europa para conhecer escolas infantis, Regina Cláudia voltou com novidades para o Liceu São Paulo Junior e repaginou totalmente a escola, deixando-a com instalações ainda mais modernas, com piscina, cozinha gourmet, sala de teatro, espaço kids, aulas de inglês diárias, viveiro e horta.

Hoje, aos 90 anos de existência, o que poucas escolas da Baixada podem comemorar, a atual e jovem diretora Regina Claudia Fuschini Miranda dá o exemplo vivo na arte de formar cidadãos éticos, com caráter e moral. São 90 anos de dedicação, eficiência e honestidade na arte de educar!

web_028 copy

Revista Studiobox – Como foi sua infância, passava muito tempo

Regina Cláudia Fuschini Miranda – Tive uma infância muito feliz. Apesar de ser filha única, nunca me senti sozinha ou falta de outra criança, porque praticamente fui criada dentro da escola. Passava a maior parte do dia por lá, tendo a oportunidade de interagir e brincar com muitas crianças.

A sua relação com os seus pais é boa, vocês conversam bastante?

É maravilhosa, baseada em muito diálogo e respeito. Desde pequena fui acostumada a participar das tomadas de decisões em família, um ouvindo e ponderando o outro. Acredito que muitas vezes até era muito precoce para minha idade, porém julgo importante esse tipo de relação.
O que eu procuro passar na criação do meu filho, conversamos muito e procuro dentro dos limites respeitar as ideias dele.
E eles sempre me deixaram à vontade para escolher a carreira que quisesse.

Dr. Ermenegildo Pinheiro da Costa Miranda – A relação com minha filha é mesmo maravilhosa, muito familiar e das melhores possíveis. Nos entendemos por olhares, e é por isso que o Liceu São Paulo chegou onde está hoje. Porque é o trabalho de uma família unida.

Regina Helena Fuschini Miranda – Na verdade, a relação que nós três temos é excelente. Em tudo que fazemos, em cada tomada de decisão, nos baseamos muito no respeito e no diálogo!

web_010

Como a Educação entrou na sua vida? Foi uma escolha consciente?

Regina Cláudia – Bem, eu praticamente nasci na escola. Meus pais estudavam lá e se conheceram na escola, passaram para a faculdade, casaram e começaram a trabalhar junto com meus avós na escola.
Depois eu nasci, e praticamente vivia o dia inteiro na escola. Por esse motivo não sei explicar como a Educação propriamente entrou na minha vida, porque como fui criada aqui dentro, tudo foi acontecendo meio espontaneamente.
Quando percebi, acho que até mesmo por ter um espírito muito empreendedor e querer renovar e atualizar sempre, já estava totalmente engajada nos projetos da escola, sempre procurando criar e empreender mais nos projetos.

E para vocês? Como o Liceu entrou em suas vidas?

Regina Helena – Meus pais (Odair Guimarães Fuschini e Domingos Fuschini) eram professores, e a partir de 1960 meus pais passaram a ser os únicos donos do Liceu São Paulo.

Dr. Ermenegildo – Tudo começou quando eu ainda era aluno, estudava Contabilidade. Depois os pais da Regina Helena compraram a escola e eu a conheci, namoramos, casamos e passamos a trabalhar juntos.

Regina Helena – Eu também fui estudante no Liceu, depois cursei a faculdade e passei a trabalhar com meus pais na escola. Nesse tempo, conheci o Ermenegildo, que acabou tornando-se meu marido. Então, trabalhamos realmente em família. Antes, trabalhávamos com meus pais, e depois que eles se afastaram nós assumimos a direção. E a Regina Cláudia também passou a trabalhar conosco, até assumir a Direção da escola.

O que representa para você trabalhar com Educação?

Regina Cláudia – Trabalhar na área de Educação é realmente maravilhoso, tanto com as crianças como com os adolescentes.
Digo que trabalhar em Educação é ter sempre o alimento espiritual em dia, pois um sorriso ou um abraço de uma criança vale mais do que qualquer dificuldade.
Aqui nós nos refazemos todos os dias tanto com a energia sincera das crianças quanto com a energia positiva e ativa dos adolescentes.

E como foi assumir os negócios da escola tão jovem?
Confesso que não foi uma tarefa fácil. Porque assumi uma instituição sólida, com nome marcado na cidade.
Uma coisa é você iniciar um projeto ‘do zero’ e crescer com ele ao longo dos anos. Mas, você assumir uma empresa consolidada e estável não é tarefa fácil, julgo ser até mais difícil.

Você já tinha esses planos? Foi sua primeira opção?

Durante a adolescência, até pensei em atuar em outras áreas profissionais, mas na hora do ‘vamos ver’ fiquei realmente por aqui. Porque, além de ser uma área que eu gostava e tinha interesse em trabalhar, julguei não ser cabível jogar para o alto uma história de vida, de geração para geração.
Não me arrependo. Sou muito realizada profissionalmente.

web_008 copy

Qual a sua inspiração profissional?

Meus pais. Ele pela maneira positiva, otimista e empreendedora como conduz tudo na vida, principalmente seus projetos. E ela pelo seu dinamismo e sua maneira comunicativa de ser.

Quais foram os maiores desafios até aqui e como foram superados?

Acho que quando realmente me formei e passei a trabalhar efetivamente na Direção da Escola. Eu era muito jovem e muitos dos funcionários tinham em mente ainda aquela menina crescida e criada dentro da escola. Mas, com ética e ‘jogo de cintura’, aos poucos consegui superar esses tipos de situações. Fui ‘tirando de letra’ e hoje em dia isso já nem ocorre mais!

Para você, como é trabalhar em família?

Eu gosto de trabalhar em família. Lógico que às vezes existem divergências, mas nas horas de situações decisivas sempre nos apoiamos uns nos outros.
E outra coisa que é muito importante para mim é poder ter a liberdade de trabalhar e ao mesmo tempo poder acompanhar o crescimento do meu filho. Porque ele, assim como eu, vive a escola todo dia, integralmente; passando seu tempo livre aqui, aproveitando para brincar, jogar bola.

João Artur – Adoro ser filho de diretora!

Imaginava chegar onde chegou? Se sente realizada profissionalmente?

Regina Cláudia – Não sei se imaginava chegar onde cheguei. Acredito que não. Como meus pais eram muito presentes aqui na escola, nunca fui de querer ‘aparecer’ profissionalmente, sempre respeitei a hierarquia profissional. Em determinadas situações, antes de dar a palavra final, sempre recorria a eles para ter uma outra opinião ou até um apoio.
Hoje olho para trás e vejo que tenho uma certa bagagem de aprendizados com eles. E aí me vejo em situações decisivas que quando percebo, já resolvi. Fico até admirada, sem nunca ter me imaginado nesta situação. Mas sou grata ao perceber que sou capaz.

web_MG_0073

O que você aprendeu com os seus pais nesse caminho?

Honestidade acima de tudo, honrar os compromissos – a minha palavra- em primeira instância. E, principalmente, aprendi a ter o espírito empreendedor, a vontade de ‘fazer acontecer’ e acima de tudo, a sempre acreditar!

Qual o seu maior orgulho na vida?

O maior orgulho de minha vida é poder olhar para trás, perceber e reconhecer erros cometidos, e ver que mesmo com os erros não desisti – muito pelo contrário! – e perceber o quanto aprendi e cresci com eles.
Orgulho de ser uma mulher dinâmica, batalhadora e responsável e, principalmente, ver que sou capaz de estar à frente de uma empresa com 90 anos de mercado, trabalhando e liderando uma grande equipe.
E apesar de tudo isso, ainda ser uma mãe dedicada que caminha lado a lado com meu filho.

Qual a diferença entre a educação que vem da escola e a que se aprende em casa?

Na verdade, a educação que vem da escola e a educação que vem de casa se complementam. A educação da escola é aquela que forma cidadãos com responsabilidade e focados em enfrentar uma sociedade com vários tipos de pessoas diferentes. Ou seja, com respeito.
Já a educação que vem de casa é a base de tudo, são os princípios básicos no início de vida, o que dependerá da formação familiar.
O melhor é que as duas se complementem, que escola e família trabalhem numa mesma direção.

web_MG_0081

Quais os diferenciais do Liceu São Paulo em Santos?

Aqui no Liceu São Paulo procuramos acolher da melhor maneira possível o aluno. Aqui o aluno não é ‘mais um’ ou ‘um número’, aqui o aluno é conhecido pelo nome.
Educamos baseados no princípio de conduzir o aluno para vida, com limites. Nossa educação é baseada em limites. Educamos com amor; porem o ‘não’ também é amor. O aluno precisa aprender e enxergar que o direito dele vai até o início do limite do outro. Esse é um dos pilares mais importantes.

Dr. Ermenegildo – O Liceu São Paulo sempre foi uma referência na cidade de Santos, formando grandes personalidades e profissionais, pensadores e esportistas.

Regina Helena – Com toda certeza, depois de 90 anos, conseguimos aliar a tradição à modernidade. Nós conseguimos manter e incentivar os princípios básicos da educação sem perder o foco de estarmos sempre em sintonia com o mundo moderno. Não podemos parar no tempo e no espaço. Precisamos nos atualizar sempre!

Quais os planos para o futuro da do Liceu São Paulo?

Regina Cláudia – Escola é o tipo de empreendimento que não para nunca. Devemos estar em constante aprendizado e atualização para acompanhar de perto o desenvolvimento das crianças e dos adolescentes.

* Fotos: Paula Castro

juliana