Mudar o mundo ou ganhar dinheiro?

Diego

Até o fim dessa década a geração Millenium (nascidos entre 1980 e 2000) deve ser a maior em número de adultos, e isso já propulsiona a maneira como grandes corporações se comportam na decisão de compra dessa massa consumidora.

Caminha junto a Millenium e potencializa o consumo consciente a Geração Z (nascidos após o advento da internet). Juntas, essas gerações buscam negócios com propósitos e empresas que vendam muito mais do que uma bela história, eles buscam a essência. E um dos alicerces mais buscados é o impacto social e o compromisso das companhias com a mudança positiva no mundo.

Temos cases famosos como a marca de alpargatas do Tom, que a cada par vendido, doa um. De forma tangível, conseguimos assim mensurar quanto a marca impacta o mundo e quanto nós, como consumidores, estamos ajudando o próximo, calçando uma pessoa que não conhecemos.

Um dos mais inovadores cases é o banco americano Aspiration, que com o slogan “Do Well. Do Good” (“Faça Bem. Faça o Bem.”, em inglês) já deixa claro seu compromisso. A empresa lançou um aplicativo no qual o usuário de seu cartão identifica as ações sociais e ambientais de vários varejistas, permitindo ao seu cliente escolher onde comprar conforme a essência da empresa. E ainda gera pontos para quem compra em lugares melhores classificados em seus índices.

Agora, como aplicar esse conceito ao meu negócio? A grande dúvida é como usar o impacto social: incluir como estratégia de marketing, desenvolver um modelo de negócio novo, criar novas linhas de receitas?

Minha sugestão é que procure algo dentro da benemerência que converse com sua consciência, que você goste e se sinta impactado. Se você acreditar naquilo, conseguirá transmitir com facilidade tudo que deseja, em especial a verdade.

Para quem não sabe como começar e quer estudar, a sugestão é a Artemisia. A organização, além de oferecer cursos à distância, possui uma aceleradora de projetos e toda sorte de assistência que você pode precisar para mudar o seu negócio e o mundo.

O manifesto da Artemisia deve ser o alicerce dos novos negócios que surgirem e das estratégias comerciais e de marketing da sua empresa: “Entre ganhar dinheiro e fazer a diferença, escolhemos ficar com os dois”.

Dá para fazer diferente, usar uma nova visão e ter lucro sustentável fazendo o bem. Acredite, remunerar a alma é uma riqueza que você ganha toda vez que ajuda alguém.

Diego