Tendências digitais para 2018

Há um tempo, quando falávamos de mídia social, tínhamos tendências específicas. Hoje, qualquer tendência no meio digital anda junto, pois tudo, literalmente, se conecta.

Muitas das tecnologias existentes serão ampliadas e aprimoradas, como o Chatbot – que já abordei na coluna – que ganhará novas funcionalidades e ampliará processos de venda através de atendimento eletrônico.

Diego51

Quando pensamos em ‘futuro’, se é que é possível distingui-lo do presente, alguns pilares nos acompanham para o varejo: Inteligência Artificial, BigData e BlockChain. Os três muitas vezes estarão juntos, às vezes em dupla ou sozinhos.

Vejamos. Automação de processos de vendas e atendimento por meio de inteligência artificial, utilizando dados que o próprio consumidor já forneceu (BigData) e gerando push com descontos – assunto que abordei quando falei do aplicativo MeuDesconto do Grupo Pão de Açúcar.

Quanto ao BlockChain, escreverei um artigo aprofundando o tema, mas a maneira como certas cadeias de suprimentos e consumo validam operações vai mudar, ganhando agilidade e transparência. Uma das funções conhecidas são os smartcontracts, que permitem a liberação do dinheiro pelo serviço contratado assim que o êxito pretendido ocorra.

Além desses pilares, vamos permanecer com o vídeo sendo 90% do conteúdo digital consumido, uma tendência que se mantém há dois anos. Podemos falar do conteúdo efêmero das marcas, cada dia mais apostando nas 24 horas dos stories, snaps e afins.

Vale lembrar de uma velha conhecida, que vai e vem de tempos em tempos: a realidade aumentada. Ela também é usada em stories e snaps, com efeitos de vídeos, por exemplo, e permite maior interação do usuário. Colocar conteúdo pago nessa interação e pulverizar conteúdo divertido fazendo uso da marca são grandes sacadas.

Influenciadores digitais continuam nos seguindo – e assim vão continuar – e impulsionando vendas e interação. A cada dia estão mais segmentados, gerando resultado efetivo independentemente do tamanho do público.

Por último, os indispensáveis aplicativos de mensagens, principalmente o Whatsapp. Ainda não sabemos os limites de suas aplicações, mas a evolução do uso dessa ferramenta no varejo digital é vista com uso de ChatBot, BigData e logo mais o BlockChain.

É viver o presente, com olho no futuro. 2018 já chegou.

Diego