Trabalhar sozinho: sonho ou pesadelo?

A curiosa frase ´Não fale em crise, trabalhe´citada há um tempo por Michel Temer está se transformando em números reais.

Com a falta de resolução das atuais crises econômica e política, o brasileiro vem pondo a mão na massa sozinho, aumentando os números de trabalho por conta própria.

Vanessa51

Além disso, existem as pessoas que largam empregos formais para trabalhar com o que gostam ou algo menos estressante, o que com o desemprego tão alto, parece ser uma boa ideia. Eu pessoalmente me encaixo na segunda situação.

Desisti do meu trabalho como jornalista em uma multinacional para mudar para uma cidade mais calma e realizar uma ocupação mais prazerosa — trabalhar com inglês, aulas e traduções, que eu adoro, além de colaborar com alguns veículos jornalísticos locais.

Conheço pessoas de ambos os lados e presenciei os pontos positivos e negativos de ser autônomo.

O lado bom é poder tentar fazer suas próprias horas de trabalho, escolher onde trabalhar – em casa, escritório, sala alugada, ambulante -, por vezes poder escolher com quem trabalhar, conseguir separar um tempo específico para uma folga ou viagem, não depender de uma empresa, de chefe ou de colegas.

Colocaria aqui também fazer o que gosta, mas isso não se aplica a todos, Às vezes você consegue isso, mas em muitos casos é preciso trabalhar com o que surge. Sem contar que mesmo fazendo o que nos agrada, trabalho é trabalho e temos que acordar e batalhar.

Os aspectos ruins: não ter garantia de um salário, necessidade de organização pessoal para garantir que o trabalho flua, saber planejar o dinheiro –alguns meses podem ser piores que outros–, calotes.

Se você precisa ou quer passar a trabalhar como autônomo, pense bem, porque nem tudo é perfeito como pode parecer.

Particularmente, pesando tudo, eu prefiro trabalhar por conta. Das mais de 90 milhões de pessoas ocupadas no Brasil no terceiro trimestre, mais de 20 milhões trabalhavam por conta própria, segundo o IBGE.

O número significa a entrada de 402 mil pessoas nesse tipo de emprego sobre o trimestre anterior e de 1,1 milhão de pessoas contra igual período de 2016.

vanessa